Rede Leader chega a São Paulo investindo no visual merchandising como diferenciação

A rede de lojas Leader, especializada em artigos de vestuário e moda casa com base no Rio de Janeiro, inaugurou suas primeiras lojas no Estado de São Paulo no mês de abril, sendo três delas em Campinas e uma em São José dos Campos.

Com mais de 60 anos de história, a Leader vem crescendo no varejo nacional e já possui mais de 80 lojas em oito Estados brasileiros (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco, Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe e Bahia), no entanto, sua entrada no Estado de São Paulo, vista como estratégica pela marca, ainda era estudada.

Desde 2013 o grupo Leader já controlava a rede de lojas Seller (com forte presença no Estado de São Paulo, sul de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul), mas só em 2015 houve a primeira tentativa de converter as lojas Seller em Leader. A experiência, conduzida por outro grupo investidor, e restrita a uma única unidade na cidade de Campinas, não trouxe os resultados esperados, culminando na retirada da marca em apenas 90 dias de operação.

Agora, em 2018, a estratégia foi melhor construída. Partindo de um estudo de comportamento do consumidor nas regiões aonde a Leader iria se estabelecer, amparada também por um novo projeto de visual merchandising que em nada lembra a antiga Seller, todos os prédios tiveram alterações consideráveis na estrutura, layout e store design, justamente para reforçar a proposta da marca de trazer um conceito mais moderno para os moradores de Campinas e São José dos Campos.

Para compreender melhor como o visual merchandising foi um dos pilares na definição da estratégia e posicionamento da marca, fui conversar com Mauro Correia, Gerente de Visual Merchandising da rede Leader. Confira.

MMdaMODA. Quais foram os maiores desafios desse Projeto? 
Mauro Correia. O maior dos desafios foi lançar uma marca nova e  pouco conhecida em um mercado super competitivo como São Paulo, em pontos que já funcionavam uma marca conhecida como a Seller. Outro desafio relevante é que as marcas (Seller e Leader) têm grandes pontos em comum, desde a cor institucional principal (vermelho), equipamentos e também padrões de exposição muito parecidos, afinal as marcas fazem parte de um mesmo grupo e as diferenciações eram pontuais para valorização do espaço moda casa na Seller de forma mais intensa e na Leader mais voltada para moda (confecção).

MMdaMODA. O que foi feito para mudar a aparência dos prédios onde antes funcionava outra rede varejista com grande tradição na cidade?
MC. As mudanças em arquitetura foram o pilar principal para deixar claro para os clientes a chegada da marca no Estado de São Paulo, além de alterações em vitrines, fachada, novas soluções em iluminação e a abertura de paredes para maior visibilidade das lojas atreladas a novos equipamentos de exposição. Tudo isso foi de extrema importância para reforçar as mudanças e a novidade que é a marca Leader.

MMdaMODA. Qual a importância do visual merchandising em um projeto como esse?
MC. O visual merchandising teve papel principal com a geração de briefing para arquitetura dos pontos que deveriam ser tratados para o lançamento da marca Leader. Além disso, várias novidades foram testadas em termos de visual merchandising para atrair novos consumidores e manter os clientes que frequentavam as lojas Seller, o que resultou na evolução de exposições de produtos com novas soluções.

MMdaMODA. Qual foi o conceito de visual merchandising trabalhado nessas novas lojas?
MC. O principal conceito utilizado é segmentação dos universos distintos, como moda adulta, moda infantil e moda casa. As principais novidades foram: pórticos de entrada para as segmentações mais relevantes (moda casa e Leader kids); nova comunicação visual, mais moderna e limpa, com tons de vermelho em degradê; novas estruturas de exposição nas entradas de loja com solução de exposição flutuante e exposição de calçados na parte inferior da parede; novos equipamentos para exposição de acessórios em todas as seções; e novos manequins para todas as seções e também manequins institucionais com na cor vermelha, chamadas de divas Leader.

MMdaMODA. O trabalho não para ai, certo?
MC. Certo, é apenas o começo de uma nova história que tem um plano consistente em avançar com o número de lojas no estado de São Paulo e pelo Brasil. Para isso vamos nos manter atualizados sobre novos conceitos de visual merchandising para que possamos cada vez mais construir uma marca mais forte.

(Visited 1.225 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais