Vitrines conceituais de Natal – vendendo o sonho

Vitrine-de-Natal-Dior.-Foto-reproducao
No último artigo abordei a importância das vitrines natalinas e dei alguns exemplos (para te inspirar) de vitrines comerciai. No artigo hoje vou dar exemplos das vitrines conceituais, as quais não visam uma concretização imediata de venda e sim transmitir uma mensagem para o seu
público-alvo.
 +
Ainda pouco explorada pelos lojistas no Brasil, principalmente pelo desconhecimento da ferramenta como uma mídia capaz de valorizar o brand equity da marca, esse tipo de vitrine também tende a ser mais caro construtivamente, já que a proposta de cenário sempre é mais rebuscada.
+
Uma pesquisa apresentada por Sylvia Demetresco, expert  em vitrines conceituais, aponta que 90% dos consumidores não buscam por preços em vitrines, ao contrário, desejam ver decorações, esquecer a vida ou ver lançamentos.
+
+
As vitrines conceituais têm forte poder de causar efeito e curiosidade, fortalecendo a imagem da loja e fixando seu ideal no consumidor potencial. Algumas redes internacionais investem pesado nesse segmento, como é o caso da Bergdorf Goodman. Veja no vídeo abaixo o processo produtivo de algumas vitrines conceituais da marca, natalinas ou não.
+
 +
Para trabalhar uma vitrine conceitual pode-se usar elementos decorativos, enfeites tradicionais, imagens, manequins e, principalmente, muita criatividade. O produto não é o foco do projeto, tanto que não é item obrigatório, o importante é abusar da criatividade e explorar um tema coerente com a imagem que deseja despertar a atenção das pessoas.
+
Veja a seguir vitrines conceituais de Natal para se inspirar e impressionar no seu próximo projeto de vitrine.
+

 

 

 

 

 

 

 

(Visited 1.274 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais