Os prós e contras de abrir loja em shopping center

O ramo dos shopping centers continua em alta: o país tem, em 2009, 378 empreendimentos e 23 novos estão em construção, conforme dados da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). Em 2008, os chamados templos do consumo tiveram uma alta nas vendas de 11,4%, o que representou um faturamento de R$ 64 bilhões. Se você pensa em abrir uma loja em shopping, a oportunidade é boa. Mas leve em consideração os seguintes tópicos:
Vale a pena?
Em princípio, sim. Os estabelecimentos oferecem aos clientes mais comodidade do que os pontos de rua, há segurança, banheiros e estacionamento. Mas a decisão final sobre abrir ou não uma loja dependerá dos custos, que são bem maiores do que num ponto de rua.
Como escolher
A primeira coisa a observar é o perfil do frequentador do shopping, que deve ser o mesmo do cliente do seu negócio. Em cidades do interior, dê preferência aos empreendimentos com capacidade de atrair moradores de toda a região e não só da cidade. Nas grandes cidades, os shoppings buscam atrair os consumidores das redondezas, chamados de público primário. Isso porque, hoje, a tendência do consumidor é ir a um estabelecimento próximo de sua casa ou trabalho.
A dura realidade das luvas
A primeira despesa a levar em conta na hora de avaliar se uma loja de shopping vale a pena é o valor das luvas do ponto comercial (a serem pagas uma vez, na escolha do local, a quem for o ‘dono’ do ponto). O preço das luvas varia. Para quem está começando um negócio do zero, os valores são geralmente inviáveis. O valor da luva de uma loja de 40m2 em um shopping de São Paulo pode variar entre R$ 400.000 e R$ 1 milhão.
Custos de ocupação
Você deve calcular, corretamente, o custo de ocupação. Trata-se da soma de três despesas mensais: o aluguel, a taxa do fundo de promoção e a taxa de condomínio (veja mais detalhes no item a seguir). “O custo total não deve superar 15% do faturamento mensal do negócio, sob risco de inviabilizar o projeto”, diz o consultor Marcos Hirai, do Grupo Cherto.
O aluguel da loja
É prática comum no mercado definir, como aluguel, um valor mínimo em reais e também um percentual sobre as vendas. No fim do mês, paga-se o que for maior. Definir o valor do aluguel é operação complexa: um único shopping pode ter 20 preços diferentes por metro quadrado. São valores cobrados para áreas distintas, como corredor principal e praça de alimentação. Pela regra, quanto maior o fluxo de pessoas em determinado local, mais caro será o aluguel.
Fundo de promoção e condomínio
O fundo de promoção é uma taxa mensal cobrada para divulgar o shopping e normalmente corresponde a 20% do valor do aluguel. A taxa mensal de condomínio, por sua vez, cobre despesas com energia, água, limpeza, administração e segurança do shopping.
Fonte: PEGN
(Visited 48 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais