Ah seu o meu manequim falasse…

Os suportes para produtos de moda são elementos constantes na composição (organização e identidade) das vitrinas. Do pequeno varejista aos grandes magazines, vemos os mais variados tipos de manequins expostos, mudando da altura, etnia até as formas futuristas mais inusitadas.

Alguém da enorme variedade de modelos que o mercado oferta, o custo é outra variável – complexa – a ser equacionada. Mudam-se as peças, a maquiagem, a peruca, os acessórios, mas o que jamais muda é a função.
Sustentar o produto é a função primária. A secundária, mais subjetiva, visa comunicar diretamente com o cliente. Comunicar uma atitude, um conceito, um estilo de vida. Este manequim projeta-se no universo dos homens como uma perfeita representação do ideal do público a que se destina. De tão perfeitas expressões (estilo e física), o consumidor vê-se refletido neste “andróide”. Ali se materializam os seus desejos motivacionais.
E não é que o cinema conseguir traduzir todos os anseios do marketing em belas – e didáticas – imagens? O filme “Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”, dirigido por P.J. Hogan, lançado em 2009, aborda a vida de Rebecca Bloomwood (Isla Fisher), uma garota viciada em fazer compras, tanto que seu salário nunca é suficiente no fim do mês.
Selecionei para vocês uma das minhas cenas preferidas deste filme. Becky é atraída por uma vitrina da Denny & George, quando se depara com um lindo cachecol verde no manequim. Para uma compulsiva em compras, aquele cachecol seria a peça fundamental na composição de seu look para que conseguisse segurança necessária a fim de enfrentar uma almejada entrevista em uma revista de moda. O que me fascina são os artifícios que o manequim, agora vivo, utiliza contra Becky, tentando convencê-la a levar o cachecol.
A legenda está péssima, mas vale a intenção!

Esse é o verdadeiro sentido do merchandising de moda: entender os desejos e motivos mais íntimos de cada consumidor alvo, fazendo com que se sintam acolhidos e compreendidos, estando completamente à vontade e estimulados para efetivarem suas compras (sejam estas por impulso ou programadas). 
(Visited 102 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá Eduardo!

    Parabéns pelo blog…tem ótimas informações e eu adorei a dica do filme.
    Eu sou estudante d moda e estou fazendo estágio na área d vitrinismo. Trabalho em uma loja moda praia, fitness e dança q tem 3 filiais. Gostaria d saber c vc tem alguma bibliografia ou alguma outra fonte para me indicar.
    Obrigada!

  2. Olá Tamara!
    Fiquei muito feliz com a sua visita e com os elogios… bem, te ajudando, eu te indico as apostilas do Studio Viz (http://www.studioviz.com.br). Elas são pagas, acho que R$120 cada, mas trazem as técnicas muito bem destrinchadas. Outra dica, você encontrará mais materiais em inglês. No português temos apenas material conceitual, poucas técnicas aplicáveis ao varejo de moda. E a grande maioria aborda só supermercados.

    Boa sorte!

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais