Ciclo de Vida determina a exposição no ponto de venda

exposiC3A7C3A3oprodutosmerchandisingmodaciclodevidaintroduC3A7C3A3o-1
O Ciclo de Vida do Produto (CVP) é um conceito utilizado pelos departamentos de Estilo/Criação, Compras e Visual Merchandising, que divide a longevidade dos produtos em quatro fases, cada uma com características específicas e orientações estratégicas diferentes para posicioná-los ao
consumidor.
 +
Entendendo que para cada fase do CVP há uma expectativa diferente do consumidor e, frequentemente, perfis de públicos diferentes serão atraídos, podemos lançar mão de regras específicas para exposição dos produtos conforme a necessidade de otimização da área de vendas. Vejamos.
+
+
FASE DE INTRODUÇÃO OU LANÇAMENTO
É a primeira fase do CVP para os clientes, nesse momento ocorre a “aceitação” (vendas dentro ou acima da expectativa) ou a “rejeição” dos itens lançados.
+
Exposição: costuma-se alocar os produtos no primeiro alinhamento do solo, vitrine, ponto focal ou em destaque nas paredes. Os equipamentos ideais para a exposição são a arara cruz, arara chrome 4-Way ou arara de 2 eixos ou 3 eixos.
+
Organização: os produtos devem ser coordenados nos equipamentos seguindo as regras de exposição entre top e bottom e respeitando coordenação de cores, modelos e estampas.
+
Precificação: costuma-se dar destaque aos preços dos produtos anunciados em catálogos ou propagandas, o restante dos preços deve ser amenizado na exposição.
+
Sinalização: os equipamentos devem ser sinalizados com o tema da campanha, enfatizando a
entrada de novos artigos.
+
+
FASE DE CRESCIMENTO
Período que se caracteriza por um crescimento significativo da popularidade do produto diante do mercado. É o momento em que várias empresas aproveitam essa aceitação e lançam de forma massificada um produto similar no mercado, aumentando a concorrência.
 +
Exposição: os produtos devem ser expostos no segundo alinhamento do solo, agrupando até dois
modelos de produtos similares com grade reduzida e preferencialmente com o mesmo preço. Essas regras se aplicam para os equipamentos arara cruz e arara de 2 ou 3 eixos, para confecção feminina, masculina e infantil.
+
Organização: os produtos com grade reduzida são agrupados por similaridade, porém, devem ser coordenados nos equipamentos seguindo as regras de exposição entre top e bottom, respeitando a coordenação de cores, modelos e estampas.
+
Precificação: Precificar com a tag de preço os produtos agrupados por similaridade que possuem o mesmo valor.
+
Sinalização: Sinalizar o equipamento com comunicações institucionais como, por exemplo, plano de pagamento vigente, site, etc.
 +
+
FASE DE MATURIDADE
Momento em que a evolução das vendas chega ao seu nível máximo de aceitação no mercado. Intensifica-se a concorrência entre as empresas e a diferenciação de serviços é uma estratégia para manter a loja atrativa.
+
Organização: com a redução das grades é comum organizar mais de dois modelos de peças no mesmo equipamento. Os tops devem ser organizados por cor (da mais clara para a mais escura da esquerda para a direita) e por modelo. Priorize equipamentos como arara frontal ou as araras de eixos.
+
Exemplo: dentro de cada bloco de cor deve-se organizar as peças por modelo na ordem: Regata,
Manga curta, Manga Longa e Vestido. Os bottoms devem ser organizados por tamanho em ordem crescente (da esquerda para a direita: 34,36,38,40…) utilizando separadores de tamanho para facilitar a escolha dos clientes. Para organiza-los por modelo do menor para o maior (da esquerda para a direita) na ordem de shorts, saia, bermuda e calça.
+
IMPORTANTE: por se tratar de um produto novo devemos valoriza-lo para que não haja a
necessidade de remarcação de preço.
+
Sinalização: Deve-se utilizar nos equipamentos alguma sinalização que indique “Última Chance”, para informar ao cliente que aquele foi um produto com boa aceitação de venda e que está se esgotando no estoque.
 +
“Compre agora ou chore depois”
+
FASE DE DECLÍNIO
É a fase onde a procura ou interesse pelo produto cai drasticamente e os lucros junto. Chamados de Saldos ou Pontas de Estoque são produtos que não tiveram bons resultados de venda ao longo do seu tempo de giro. Isso pode acontecer por erros de precificação, design, tecido ou até mesmo exposição inadequada, mas existe público interessado especificamente nesse tipo de produto, são os chamados consumidores Retardatários ou Oportunistas.
+
Exposição: estes produtos devem ser expostos no último alinhamento do solo (Zona Fria da loja), de forma lateral em equipamentos como arara paralela, arara reta ou arara curva.
+
IMPORTANTE: produtos de saldo não devem ser destacados em vitrines, paredes ou pontos focais, já que a margem de lucro dele é insignificante e você roubaria as vendas dos lançamentos (o chamado canibalismo).
+
Organização: os produtos devem ser, ao máximo, organizados por valor, cor e modelo.
+
Precificação: O preço será o maior atrativo para esses produtos. Esses itens devem ser remarcados com etiqueta de cor diferente das demais da loja, normalmente se utiliza o vermelho, amarelo ou laranja que estão associadas a descontos.
 +
Atente-se as fases do CVP da sua coleção e faça as corretas exibições dos artigos no ponto de venda (PDV). O consumidor já está acostumado a essa organização espacial e, por isso, consegue intuitivamente se deslocar pela loja atrás de seus objetivos.
(Visited 652 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais