5 tendências do varejo pós-NRF e suas aplicações

NRF 2019

A feira NRF Retail’s Big Show é um dos maiores eventos de varejo do mundo e a 110ª edição aconteceu em janeiro, em Nova Iorque. Muitas novidades e tendências varejistas foram apresentadas pelas maiores empresas do setor.

E a transformação digital e a tecnologia continuam no centro das inovações. Por isso, entender a função de cada tendência dentro do planejamento estratégico do negócio e como colocá-las em prática, são desafios do varejo. Nesse contexto vamos abordar 5 tendências e sua importância segundo os especialistas:

Para criar um projeto de inovação no varejo é necessário primeiro entender a cultura da empresa e trabalhar isso nos colaboradores, por isso Cultura corporativa, liderança e capital humano está na base do processo.  Conhecer o seu cliente, seu comportando e suas expectativas, através da Captura e análise de dados, é fundamental para a Personalização do atendimento e do produto e a criação de uma atmosfera de estímulos e Experiências que irão conectar o cliente com a essência da marca. Implantar o Ominichannel é desafiador. Tema recorrente em várias feiras ainda é uma solução de difícil aplicação, porém muito importante para a otimização e satisfação do processo de compra do cliente.

Cultura corporativa, liderança e capital humano: relacionamento humano é prioridade para o futuro do varejo. A construção de um planejamento estratégico para implantação de um projeto de inovação deve estar baseada no propósito e cultura do negócio. A razão de existir da marca será responsável pelo posicionamento da empresa no mercado. Antes de levar esse conceito ao consumidor é fundamental que todos os colaboradores estejam alinhados na cultura corporativa. Não é possível comunicar ao consumidor uma mensagem que internamente na empresa não seja uma verdade para toda a equipe. A medida que todos os colaboradores acreditam e apoiam o propósito da corporação eles se tornam importantes propagadores da marca no mercado, pois são a ponte mais importante entre o produto e o consumidor. A responsabilidade de construir e cultivar essa ideologia está nas mãos dos líderes. Eles devem mostrar para cada membro da equipe o seu valor para a marca.

Captura e análise de dados: entender as necessidades e o comportamento do consumidor é fundamental para a criação do novo varejo. É através de informações bem colhidas e apuradas cuidadosamente que a empresa será assertiva nas ações. A expressão deep retail trata-se de mergulhar fundo na busca de conhecer o consumidor. Inteligência artificial e big data analytics são soluções tecnológicas que auxiliam nesse processo.

Personalização: depois de entender todas as demandas do consumidor é necessário trabalhar o atendimento, relacionamento, produto, conteúdo, ponto de venda e todos os canais de forma personalizada para atender as suas expectativas. O cliente irá se relacionar com aquela marca que solucionar os seus problemas específicos.

Experiência de compra e frictionless retail: a experiência de compra traz duas abordagens distintas de grande importância para atingir a excelência no processo. A expressão frictionless retail trata-se da verdadeira e efetiva experiência de compra, aquela que guia o consumidor para a conclusão da transação sem nenhuma complicação, sem atritos. Filas, processos burocráticos, falta de produto, informações incoerentes são alguns problemas do passado. O consumidor não aceita mais encontrar dificuldades na compra. A experiência de compra também está relacionada às sensações que serão estimuladas no consumidor durante o processo da compra. O ponto de venda físico ganha maior importância nesse contexto, as emoções vividas pelo consumidor despertam o relacionamento e engajamento com a marca. Os dados e informações capturados serão novamente utilizados para criação de experiências personalizadas e relevantes para o consumidor. As pessoas querem entretenimento, querem ser surpreendidas, querem se relacionar e se emocionar.

Ominichannel : o objetivo de diversas empresas ao redor do mundo, em diferentes mercados, tem sido se tornar verdadeiramente omnichannel. Conectar todos os canais de venda envolve custo alto e planejamento. O alinhamento de informações, produtos e o propósito da marca devem ser completamente coerentes e harmônicos, em todos os canais, para a entrega de uma solução completa e uma experiência envolvente, que alcance o objetivo de conquistar definitivamente o consumidor. A concretização desse conceito ainda é distante para muitos varejistas.

 

A implementação do novo varejo demanda altos investimentos de tempo e dinheiro. Porém, mesmo em condições desfavoráveis, para continuar prosperando no varejo o desafio será criar soluções disruptivas, simples, convenientes e acessíveis.

(Visited 232 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais