IBModa lança plataforma para reunir profissionais interessados no desenvolvimento de negócios sustentáveis de moda

FashionHUB

 

Bastante experiente e com uma trajetória consolidada no segmento de negócios de moda, o Instituto Brasileiro de Moda (IBModa) acaba de lançar a plataforma FashionHUB. A iniciativa surge com a missão de conectar e criar condições de desenvolvimento para empreendedores, estudantes e profissionais da área de todo o Brasil. Embora a interação tenha como ponto de partida a web, a plataforma é uma oportunidade de transformação e cooperação no mundo real.

Especialista em análise do comportamento e consumo de moda e em estratégias competitivas para o setor, André Robic, diretor executivo do IBModa, explica que a FashionHUB é uma rede de conhecimento e empreendedorismo na área de moda, composta por uma série de iniciativas diferentes e complementares que visam ampliar o conhecimento de pessoas e empresas do segmento. E a principal ferramenta de interação do projeto é a internet. O objetivo é trabalhar novas formas de ensino-aprendizagem, de maneira menos formal e bem mais dinâmica do que em cursos presenciais e online.

“Estamos integrando pessoas e conhecimentos diversos, promovendo assim o aprendizado coletivo e o desenvolvimento dos negócios da moda. O FashionHUB surgiu a partir de uma série de experiências do IBModa de seus diretores na área da educação presencial e online, na qual trabalhamos desde 2005. E também da visão da nova organização no mundo em rede, onde a hierarquia é cada vez menos valorizada e importante, e planejamento e controle passam a estar na mão de cada um, e de acordo com seus objetivos e necessidades”, afirma Robic.

Para Luciane Robic, diretora de Marketing do IBModa, o projeto é resposta desta mesma inquietação e intenção em evoluir não só com o raciocínio e formato da educação, mas também com o pensar, planejar e agir no mercado de moda, que passa por significativas transformações.  “O consumidor exige uma nova postura das marcas e empreendedores da moda. Com o Fashion Hub pretendemos estimular debates e a construção de novos caminhos neste sentido. O fato de ser uma comunidade envolve e estimula o aprendizado em rede, sem hierarquia e com a participação de todos, a partir das dúvidas e da co-criação. Além disso, apostar em uma plataforma online amplia o acesso a todos, promove conexões nacionais e internacionais e aproxima o relacionamento e diálogo de todos os usuários”, diz.

Especialista em Branding, Luciane contribuiu com sua experiência no desenvolvimento de marcas grandes marcas brasileiras. E atualmente, Luciane e Robic direcionam os esforços do IBModa principalmente para o mercado criativo e empreendedor.

De acordo com dados do governo federal, estima-se que no Brasil haja atualmente mais de 1.5 milhão de empreendedores. No início ou em qualquer ponto que seja desta caminhada, o empreendedor precisa de condições para o desenvolvimento do seu negócio. Há quem diga que a principal característica do empreendedor brasileiro seja a criatividade, no entanto, é preciso também ousadia, inovação, disposição para colocar a mão na massa. E conexões. Nesse contexto, a plataforma FashionHUB oferece aos conectados à rede oportunidade, aprendizado, informação e networking. “Essas são justamente as qualidades mais procuradas em cursos de pós-graduação. Mas tais cursos não estão preparados para atender a essas expectativas, pela sua excessiva formalização, diferença de nível e de objetivos dos alunos, falta de aprofundamento e até pela necessidade de presença física constante. Mesmo sem esse último requisito, os estudantes se ressentem no EAD (Ensino a Distância) da falta de motivação para participar, uma vez que podem fazer isso a qualquer momento”, afirma Robic.

Diante disto, Robic ressalta que o aprendizado que se oferece na plataforma vem da interface entre a teoria, com palestras e materiais inseridos no sistema, com a prática de cada um dos participantes. Mas, a interação entre as pessoas da área, locais e funções são diferentes, seja por meio dos fóruns temáticos propostos, ou da comunicação direta “tomando um cafezinho ou uma cerveja” ainda que à distância. “É uma excelente oportunidade para se estabelecer um networking especial e criar oportunidade de trabalho e de negócios em conjunto, em rede”, diz.

A plataforma foi idealizada de modo que cada conexão pode se relacionar como quiser ou necessitar. Para citar alguns exemplos, um apaixonado por moda pode assistir a palestras, ver as novidades da biblioteca, acompanhar as discussões no fórum e conferir as principais novidades da área.

Profissionais, empreendedores, estudantes e interessados são bem-vindos. No caso dos estudantes, é possível complementar o ensino utilizando-se das ferramentas disponíveis, o que garante horas complementares na carga horária acadêmica. Profissionais podem fazer de tudo e ainda contar com mentorias e consultorias com nomes relevantes do mercado de moda. Novos empresários e empreendedores podem apresentar seus projetos, receber críticas e sugestões e, além disso, quem sabe encontrar parceiros para o desenvolvimento de sonhos.

“O FashionHUB é fundamental para o momento que passa moda brasileira. É imprescindível uma união dos envolvidos com o setor para trocar e ampliar experiências, conhecimento e estabelecer políticas e parcerias. Inclusive é uma oportunidade para pressionar e estimular o governo e as entidades de apoio e fomento, tais como ABIT, APEX, Sebrae, SENAI, FIESP e outras a ampliarem sua atuação e a direcionarem de melhor maneira os recursos que possuem para o desenvolvimento do setor”, explica Robic que ver o Fashion Hub se tornar uma força expressiva, um movimento que não só questiona, mas que cobra por iniciativas capazes de transformar a vida também do médio e pequeno empreendedor.

Quem são os profissionais envolvidos com a plataforma FashionHUB e quem pode se conectar à rede?

Criar uma rede com nomes relevantes e dispostos a contribuir com o desenvolvimento sustentável de empreendedores criativos do universo da moda tem sido a principal meta do Fashion Hub. Hoje, a iniciativa do IBModa reúne na plataforma profissionais que ao longo dos quase 20 anos de história do Instituto estiveram conectados e inseridos no contexto de aulas, cursos, palestras, consultorias e no Congresso Internacional de Negócios de Moda – promovido há cinco anos pelo IBModa em edições realizadas dentro e fora do Brasil. Segundo André Robic, a curadoria se dá então por meio de um processo natural de conhecimento e integração, onde a qualidade do trabalho e o alimento à cultura do IBModa vem de forma orgânica. Espera-se desses profissionais uma participação ativa, contribuindo no Fórum, trazendo novas matérias, dando palestras, indicando shows, livros, leituras, peças, filmes, etc, para posterior discussão. E realizando também mentorias e consultorias. Entre os nomes estão Alfredo Orobio, fundador da plataforma Awaytomars; a antropóloga Carolina Delgado. Compartilhadora e articuladora de tecnologias sociais e diálogos coletivos em busca de um mundo mais plural, Carol é idealizadora do Puxadinho; Fábio Mariano Borges, pesquisador e sociólogo especialista na cultura do consumo; Fernanda Simon que é coordenadora do Fashion Revolution Brasil e consultora de moda sustentável; entre outros.

Já a participação de membros da rede se dá fortalecendo a troca e a construção de conhecimento, dentro das perspectivas, objetivos, possibilidades e conhecimento de cada um. “Todo envolvimento é, a princípio, online, mas hoje já não há diferença entre o mundo ‘real’  e o mundo virtual. Dessa forma, é certo de que as interações e integração produzidos pela plataforma acabará por desembocar em encontros presenciais”, comenta Robic.

Para entrar na rede é preciso fazer a inscrição na plataforma solicitando a inclusão. Há planos trimestrais, semestrais e anuais. E a participação inclui certificação. “O FashionHUB inclui meses de conceito e criação, e gastos com desenvolvimento, comunicação e com os próprios palestrantes e demais envolvidos em algumas das atividades pelas quais recebem remuneração. Defendemos arduamente que o profissional deve ser recompensado pelo seu conhecimento e pelo seu tempo, e que o profissional de moda deve ser valorizado”, completa.

Outras informações: https://www.fashionhub.net.br/

(Visited 161 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais