Hiperescala: tendência no visual merchandising

tendencia-exagero-merchandising-vitrine-11
As pesquisas de tendências da EuroShop, Retail Design Institute e WGSN apontam diversas caminhos para o visual merchandising de moda. Em particular, gostaria de destacar uma que tem me chamado a atenção: a hiperescala.
 +
Utilizando-se de algo familiar de forma maximizada, podemos, muitas vezes, remeter o consumidor ao lúdico e ao fantástico. É uma das quatro formas de trabalhar o processo de percepção do consumidor, surpreendendo com o resultado final.
 +
Nossa percepção é seletiva e, por isso, descarta em torno de 90% das comunicações visuais a que somos submetidos. Logo, estimular o foco de atenção do consumidor é de vital importância para garantir a sua “presença” na mente e nas escolhas do shopper. Para isso, o visual merchandiser pode investir no contraste (de cores, temas, texturas), no movimento (seja real ou simulado), na intensidade e/ou na incongruência (absurdo).
 +
A tendência da hiperescala abrange exatamente esses dois últimos aspectos, a intensidade e a incongruência. Investir no exagero dentro do ponto de venda (PDV) ou nas vitrinas é a certeza de sobressair frente a concorrência. Só não podemos esquecer-nos de adequar esse “exagero” ao perfil do público-alvo, a temática da campanha, a ambientação da loja e ao espaço físico disponível.
 +
Nada deve ser gratuito dentro de um projeto de visual merchandising, todas as escolhas devem ser muito bem refletidas sobre qual impacto causarão no consumidor.
+
Apontamos 16 exemplos de hiperescala já praticados no varejo de moda. Surpreenda-se e inspire-se!
 +

 

(Visited 1.165 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais